Deixe a Palavra de Deus guiar seus passos

“Lâmpada para o meu pé é a tua palavra e luz para a minha senda.” — SALMO 119:105.

CONSEGUE lembrar-se de uma ocasião que teve de pedir informações sobre como chegar a um determinado lugar? Talvez já estivesse perto, mas não soubesse exatamente que direção tomar. Ou pode ser que estivesse totalmente perdido e precisasse mudar por completo de rumo. Em quaisquer dos casos, não seria sábio seguir as orientações de alguém que conhece a região? Essa pessoa poderia ajudá-lo a chegar ao seu destino.

2 Por milhares de anos, a humanidade em geral tenta viajar pela estrada da vida sem procurar orientação divina. Se deixados por conta própria, porém, os humanos imperfeitos ficam completamente perdidos. Simplesmente não conseguem encontrar o caminho da verdadeira paz e felicidade. Por que não? Há mais de 2.500 anos, o profeta Jeremias declarou: “Não é do homem que anda o dirigir o seu passo.” (Jeremias 10:23) Qualquer pessoa que tentar dirigir o próprio passo sem aceitar ajuda qualificada inevitavelmente ficará frustrada. Sem dúvida, a humanidade precisa de orientação!

3 Jeová Deus é altamente qualificado para dar esse tipo de orientação. Por quê? Porque ele entende a natureza humana melhor que ninguém. Sabe muito bem como a raça humana se desviou e se perdeu. Sabe também o que é preciso para que ela volte ao caminho certo. Além disso, como Criador, Jeová sempre sabe o que é melhor para nós. (Isaías 48:17) Por isso, podemos ter plena confiança em sua promessa registrada no Salmo 32:8: “Eu te farei ter perspicácia e te instruirei no caminho em que deves andar. Vou dar conselho com o meu olho fixo em ti.” Não resta dúvida: Jeová dá a melhor orientação. Mas como exatamente ele faz isso?

4 Um salmista disse em oração a Jeová: “Lâmpada para o meu pé é a tua palavra e luz para a minha senda [caminho].” (Salmo 119:105) As declarações e os lembretes de Deus encontram-se na Bíblia, e podem nos ajudar a vencer obstáculos que talvez apareçam em nosso caminho. De fato, quando lemos a Bíblia e permitimos que ela nos oriente, sentimos pessoalmente o que Isaías 30:21 descreve: “Teus próprios ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: ‘Este é o caminho. Andai nele.’”

5 Note, porém, que o Salmo 119:105 menciona duas funções da Palavra de Deus, que estão interligadas. A primeira é que ela serve como lâmpada para nossos pés. Ao enfrentarmos os desafios do dia-a-dia, princípios encontrados na Bíblia devem guiar nossos passos para tomarmos decisões sábias e evitarmos as armadilhas deste mundo. A segunda é que os lembretes de Deus iluminam nosso caminho, ajudando-nos a fazer escolhas coerentes com nossa esperança de viver para sempre no Paraíso que Deus promete. Tendo o caminho à nossa frente bem iluminado, poderemos discernir as conseqüências — boas ou más — de tomarmos certo rumo. (Romanos 14:21; 1 Timóteo 6:9; Revelação [Apocalipse] 22:12) Vejamos mais de perto como as declarações de Deus, encontradas na Bíblia, podem ser lâmpada para nosso pé e luz para nossa senda.

“Lâmpada para o meu pé”

6 Todos os dias tomamos decisões. Algumas talvez pareçam relativamente sem importância, mas, às vezes, podemos nos deparar com uma situação que põe à prova nossa moral, honestidade ou neutralidade. Para nos sairmos bem nessas provas, precisamos ter nossas “faculdades perceptivas treinadas para distinguir tanto o certo como o errado”. (Hebreus 5:14) Por obtermos conhecimento exato da Palavra de Deus e chegarmos a entender seus princípios, treinamos nossa consciência para tomarmos decisões que agradam a Jeová. — Provérbios 3:21.

7 Veja um exemplo. Você é alguém que está tentando sinceramente alegrar o coração de Jeová? (Provérbios 27:11) Se for, merece elogios. Mas imagine que alguns colegas de trabalho lhe ofereçam um ingresso para você ir com eles a um evento esportivo. Eles gostam de trabalhar com você e querem sua companhia em atividades sociais fora do trabalho. Talvez você tenha a forte impressão de que essas pessoas não são más. Pode ser que até mesmo tenham alguns bons princípios. O que fará? Haveria algum perigo em aceitar o convite? Como a Palavra de Deus pode ajudá-lo a tomar a decisão certa nessa questão?

8 Considere alguns princípios bíblicos. O primeiro que talvez lhe venha à mente se encontra em 1 Coríntios 15:33, que diz: “Más associações estragam hábitos úteis.” Será que para seguir esse princípio você precisa evitar totalmente pessoas que não são Testemunhas de Jeová? A resposta da Bíblia a essa pergunta é não. Afinal, até o apóstolo Paulo mostrava consideração amorosa por “pessoas de toda sorte”, incluindo aquelas que não eram cristãs. (1 Coríntios 9:22) A própria essência do cristianismo exige que mostremos interesse nos outros — incluindo os que não têm as mesmas crenças que nós. (Romanos 10:13-15) De fato, como podemos seguir o conselho de ‘fazer o que é bom para com todos’ se nos isolarmos de pessoas que talvez precisem de nossa ajuda? — Gálatas 6:10.

9 No entanto, há uma nítida diferença entre ser amistoso com um colega de trabalho e ser amigo achegado dele. Aí é que entra outro princípio bíblico. O apóstolo Paulo alertou os cristãos: “Não vos ponhais em jugo desigual com incrédulos.” (2 Coríntios 6:14) O que significa a expressão “não vos ponhais em jugo desigual”? Algumas traduções da Bíblia vertem essas palavras assim: “Não se juntem”, “não formeis parelha incoerente” ou “não vivam lado a lado em ligação”. Em que ponto o relacionamento com um colega de trabalho começa a ficar impróprio? Quando é que ultrapassa os limites e se torna um jugo desigual? A Palavra de Deus, a Bíblia, pode guiar seu passo nessa situação.

10 Pense no exemplo de Jesus, que amou os humanos desde a criação. (Provérbios 8:31) Enquanto estava na Terra, ele criou um vínculo íntimo com seus seguidores. (João 13:1) Até mesmo “sentiu amor” por um homem mal-orientado em sentido religioso. (Marcos 10:17-22) Mas Jesus também estabeleceu limites bem definidos com respeito a sua escolha de amigos. Ele não formou vínculos achegados com pessoas que não tinham interesse sincero em fazer a vontade de seu Pai. Certa vez, Jesus disse: “Vós sois meus amigos, se fizerdes o que vos mando.” (João 15:14) É verdade que você talvez se dê bem com certo colega de trabalho. Mas pergunte-se: ‘Será que essa pessoa está disposta a fazer o que Jesus manda? Ela deseja aprender sobre Jeová, aquele a quem Jesus nos instruiu a adorar? Tem os mesmos padrões de moral que eu tenho como cristão?’ (Mateus 4:10) À medida que você for conversando com seus colegas de trabalho e insistir em aplicar as normas da Bíblia, as respostas a essas perguntas ficarão evidentes.

11 Existem muitas outras situações em que as declarações de Jeová podem ser como lâmpada para nosso pé. Por exemplo, um cristão desempregado pode receber a oferta de um emprego do qual precisa muito. Mas a carga horária é grande, e, se aceitar o emprego, ele vai perder várias reuniões e outras atividades relacionadas com a adoração verdadeira. (Salmo 37:25) Outro cristão talvez se sinta fortemente tentado a se entreter com coisas que claramente violam princípios da Bíblia. (Efésios 4:17-19) Ainda outro talvez tenha a tendência de se ofender com as imperfeições de seus irmãos cristãos. (Colossenses 3:13) Em todas essas situações, devemos deixar que a Palavra de Deus seja uma lâmpada para nosso pé. O fato é que, por seguirmos princípios bíblicos, podemos nos sair bem diante de qualquer desafio na vida. A Palavra de Deus é “proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça”. — 2 Timóteo 3:16.

“Luz para a minha senda”

12 O Salmo 119:105 também diz que as declarações de Deus podem iluminar nossa senda, clareando o caminho à frente. Não temos dificuldades de ver o futuro, pois a Bíblia explica o significado das condições aflitivas do mundo e qual será o resultado final. Reconhecemos que estamos vivendo nos “últimos dias” deste sistema perverso. (2 Timóteo 3:1-5) Saber o que vem pela frente deve influenciar muito o modo como levamos a vida hoje. O apóstolo Pedro escreveu: “Visto que todas estas coisas hão de ser assim dissolvidas, que sorte de pessoas deveis ser em atos santos de conduta e em ações de devoção piedosa, aguardando e tendo bem em mente a presença do dia de Jeová!” — 2 Pedro 3:11, 12.

13 Nosso modo de pensar e de viver deve refletir a forte convicção de que “o mundo está passando, e assim também o seu desejo”. (1 João 2:17) Aplicar as orientações da Bíblia nos ajudará a tomar decisões sábias com respeito a nossos alvos para o futuro. Por exemplo, Jesus disse: “Persisti, pois, em buscar primeiro o reino e a Sua justiça, e todas estas outras coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33) É muito elogiável ver tantos jovens mostrar fé nas palavras de Jesus por se empenhar no ministério de tempo integral. Outros cristãos — incluindo famílias inteiras — se mudam voluntariamente para países onde há grande necessidade de proclamadores do Reino.

14 Veja o caso de uma família cristã com quatro membros, que se mudou dos Estados Unidos para uma cidade de 50 mil habitantes na República Dominicana, a fim de servir na congregação ali. A congregação tem cerca de 130 publicadores. Mas em 12 de abril de 2006 umas 1.300 pessoas estiveram presentes à Comemoração da morte de Cristo. Os campos naquela região estão tão “brancos para a colheita” que, depois de apenas cinco meses, o pai, a mãe, o filho e a filha já dirigiam um total de 30 estudos bíblicos. (João 4:35) O pai explica: “Na congregação há 30 irmãos que se mudaram para cá a fim de ajudar. Uns 20 são dos Estados Unidos e os demais, das Bahamas, do Canadá, da Itália, da Nova Zelândia e da Espanha. Eles chegam ansiosos de participar no ministério e dão uma injeção de ânimo nos irmãos locais.”

15 É compreensível que muitos irmãos não tenham condições de se mudar para outro país a fim de ajudar na obra. Mas os que têm condições — ou que podem ajustar sua situação para se colocar à disposição — com certeza serão muito abençoados por participar no ministério dessa maneira. Mas, não importa onde você esteja, não deixe de sentir a alegria que vem de servir a Jeová com toda a força. Se colocar os interesses do Reino em primeiro lugar na vida, Jeová promete ‘despejar sobre você uma bênção até que não haja mais necessidade’. — Malaquias 3:10.

Tire proveito das orientações de Jeová

16 Como vimos, as declarações de Jeová nos guiam de duas maneiras. Servem como lâmpada para nosso pé, nos ajudando a avançar na direção certa e nos orientando quando temos de tomar decisões. Elas também iluminam nosso caminho, dando-nos uma visão clara do que está à frente. Isso, por sua vez, nos ajuda a seguir o conselho de Pedro: “Avigorai as vossas mentes para atividade, mantendo inteiramente os vossos sentidos; fixai vossa esperança na benignidade imerecida que vos há de ser trazida na revelação de Jesus Cristo.” — 1 Pedro 1:13.

17 Não há dúvida de que Jeová dá orientação. A questão é: você vai segui-la? Para entender as orientações de Jeová, esteja decidido a ler diariamente um trecho da Bíblia. Medite no que lê, tente perceber a vontade de Jeová nos assuntos e pense em maneiras diferentes de como as informações podem aplicar-se a você. (1 Timóteo 4:15) Daí, use sua “faculdade de raciocínio” ao tomar decisões pessoais. — Romanos 12:1.

18 Se permitirmos, os princípios encontrados na Palavra de Deus nos iluminarão e nos orientarão ao tomarmos decisões sobre o rumo correto a seguir. Podemos confiar que as declarações escritas de Jeová tornam “sábio o inexperiente”. (Salmo 19:7) Quando permitimos que a Bíblia nos guie, somos abençoados com uma consciência limpa e com um senso de satisfação que resulta de agradar a Jeová. (1 Timóteo 1:18, 19) Se deixarmos que as declarações de Deus guiem nossos passos cada dia, Jeová por fim nos recompensará com a bênção da vida eterna. — João 17:3.

Lembra-se?

• Por que é importante deixar que Jeová guie nossos passos?

• De que modo as declarações de Deus podem ser como lâmpada para nosso pé?

• Como as declarações de Deus podem ser uma luz para nossa senda?

• Como o estudo da Bíblia nos ajudará a seguir as orientações de Deus?

[Perguntas de Estudo]

1, 2. Por que a maioria dos humanos não consegue encontrar verdadeira paz e felicidade?

 3. Por que Jeová Deus é altamente qualificado para dar orientação aos humanos, e o que ele promete?

4, 5. Como as declarações de Deus podem nos guiar?

 6. Em que circunstâncias as declarações de Deus podem ser uma lâmpada para nosso pé?

 7. Descreva uma situação em que um cristão pode sentir-se inclinado a se associar com colegas de trabalho que não são Testemunhas de Jeová.

 8. Que princípios bíblicos nos ajudam a raciocinar sobre a questão de nos associar com outros?

 9. Que conselhos bíblicos nos ajudam a ser equilibrados no relacionamento com colegas de trabalho?

10. (a) Como Jesus escolhia seus amigos? (b) Que perguntas podem ajudar a pessoa a tomar boas decisões sobre amizades?

11. Dê exemplos de situações em que as declarações de Deus devem guiar nossos passos.

12. Como as declarações de Deus são uma luz para nossa senda?

13. Como a urgência dos tempos deve influir em nosso modo de pensar e de viver?

14. Como uma família cristã expandiu seu ministério?

15. Que bênçãos você tem recebido por colocar os interesses do Reino em primeiro lugar na vida?

16. Como seremos beneficiados por nos deixar guiar pelas declarações de Deus?

17. Como o estudo da Bíblia nos ajudará a seguir as orientações de Deus?

18. Que bênçãos recebemos quando deixamos que a Palavra de Deus nos guie?

[Foto na página 15]

Em que ponto o relacionamento com alguém que não é Testemunha de Jeová começa a ficar impróprio?

[Foto na página 16]

Os amigos íntimos de Jesus eram os que faziam a vontade de Jeová

[Fotos na página 17]

Será que nosso modo de viver demonstra que colocamos os interesses do Reino em primeiro lugar?